O dia dos namorados e as pessoas com deficiência por Mariana Silva

by - junho 12, 2019


(texto em português)

O dia dos namorados, 12 de junho, nasceu porque um empresário inventou uma forma de esquentar as vendas em junho. Este era um mês meio morto para o comércio já que não tinha nenhuma data especial que estimulasse as pessoas a comprarem bens. Agora, data já é clássica para os brasileiros apaixonados, ainda que o resto do mundo todo adote outra data, 14 de fevereiro.

A mídia toda estimula o amor. Seus amigos estimulam o amor. Os pombos da praça perto da sua casa pedem para você amar. É um inferno para solteiros e casais já que todos eles ficam pressionados a amar incondicionalmente. Mas, e para as pessoas com deficiência, como ficamos nesse cenário?

Incontáveis foram os 12 de junho que eu passei sozinha. É complicado achar um par quando seu corpo, primeira tela vista pelas outras pessoas, é desviante dos padrões e normas. Como ser atraente se te dizem que sua forma de viver está errada? Como ter uma atitude positiva se te digam que a sua existência não é boa o bastante?
É necessário que nossa visão vá além da aparência. Que o outro seja visto em sua totalidade, com fragilidades e potencialidades. As pessoas se preocupam com rampas e pisos táteis para reforçar a acessibilidade. Mas isso não é tudo. É importante que exista uma acessibilidade para a existência do outro. Uma coisa mais difícil de ser feita.
Amar é importante para nós, seres humanos, que somos animais que se agregam. A solidão traz diversos prejuízos para todo mundo então não seria diferente com pessoas como nós, com potencialidades e fragilidades que estapeiam a nossa cara desde que nascemos até o dia da nossa morte. O amor é muito bonito para ser outra fonte de angústia.

E o amor pede um olhar mais apurado para o ser que se ama. Que vai além das aparências e desaparências. É aquilo que nos faz pessoas melhores. Então, nesse dia dos namorados, se você está amando, se jogue de cabeça.
Mas, se você está solteiro, não entenda como algo ruim, ou algum sinal de preconceito. O amor é uma brisa leve que toca nosso ombro de mansinho. E esse calorzinho costuma aparecer mais fácil para os distraídos.  
Galeria nas Redes
twitter/ instagram/ facebook
-

(texto en español)

Título: El día de los enamorados y las personas con discapacidad

El día de los enamorados, el 12 de junio, nació porque un empresario inventó una manera de aumentar las ventas en junio. Este era un mes medio muerto para el comercio ya que no tenía ninguna fecha especial que estimulara a las personas a comprar bienes. Ahora, la fecha ya es clásica para los brasileros enamorados, aunque todo el resto del mundo adopte otra fecha, el 14 de febrero.

Todos los medios estimulan el amor. Sus amigos estimulan el amor. Las palomas de la plaza que queda cerca de tu casa te piden que ames. Es un infierno para solteros y parejas, ya que todos son presionados a amar incondicionalmente. Pero, y las personas con discapacidad, cómo quedamos en este escenario?

Fueron incontables los 12 de junio que pasé sola. Es complicado encontrar una pareja cuando tu cuerpo, la primera pantalla que ven las otras personas, se desvía de los patrones y normas. Como ser atractivo si te dicen que tu forma de vivir está mal? Cómo tener una actitud positiva si te dicen que tu existencia no es lo suficientemente buena?
Es necesario que nuestra mirada vaya más allá de las apariencias. Que el otro sea visto en su totalidad, con fragilidades y potencialidades. Las personas se preocupan por poner rampas y pisos táctiles para reforzar la accesibilidad. Pero eso no es todo. Es importante que exista una accesibilidad para la existencia del otro. Una cosa más difícil de hacer.
Amar es importante para nosotros, los seres humanos, que somos animales sociales. La soledad causa diversos perjuicios a todo el mundo, entonces no es diferente con personas como nosotros, con potencialidades y fragilidades que nos cachetean la cara desde que nacemos hasta el día de nuestra muerte. El amor es muy bonito para ser otra fuente de angustia.

Y el amor pide una mirada más aguda para el ser que se ama. Que va más allá de las apariencias y las "desapariencias". Es aquello que nos hace mejores personas. Entonces, en este día de los enamorados, si estás amando, tirate de cabeza.
Pero, si estás soltero, no lo veas como algo malo, o alguna señal de prejuicio. El amor es una brisa leve que toca nuestro hombro levemente. Y ese calorcito suele aparecer más fácilmente para los distraídos.



Galería en las Redes
twitter/ instagram/ facebook

You May Also Like

0 comentários